Dicas

OS BENEFICIOS DO PILATES DURANTE A GRAVIDEZ

A gravidez é um momento fascinante na vida de nós mulheres, repleto de mudanças emocionais, psicológicas e físicas. Muitas vezes encaramos essa fase como um estágio de doença, mas na verdade isso não deve acontecer; devemos sim, cuidar de nossos corpos e mentes para estarmos preparadas para suportar todas as modificações que sofreremos durante as 40 semanas, em média, de gestação.

No âmbito corporal as alterações são inúmeras e compreendem todos os sistemas de maneira global.

Em um primeiro momento ocorre um grande aumento hormonal necessário para o desenvolvimento do bebe. Dentre estes hormônios é liberada a relaxina, responsável por aumentar a flexibilidade dos ligamentos da pelve visando o seu gradual alargamento. É importante ressaltar que esta ação hormonal promove uma tendência à instabilidade das articulações, principalmente da região pélvica e dos punhos.

Progressivamente ocorre um importante aumento do volume sanguíneo, dos seios e dificuldade de retorno venoso, o que favorece o inchaço dos membros e o surgimento de varizes.

Em relação à organização postural, o corpo vai se adaptando gradualmente e tende a adquirir um padrão característico das gestantes: 

  • Projeção do centro de gravidade para frente devido ao peso da barriga e seios aumentados; 
  • Aumento da curvatura da coluna lombar, o que causa desconforto e dor nessa região; 
  • Base de sustentação alargada na marcha; 
  • Fraqueza abdominal podendo ocorrer o que chamamos de diástase, ou seja, as fibras dos músculos abdominais se separam; 
  • Tendência a hiperextensão dos joelhos e dificuldade de equilíbrio;

Já no terceiro trimestre de gestação, fica evidente o comprometimento do sistema respiratório. Ocorre uma diminuição da capacidade ventilatória, uma vez que o grande volume abdominal dificulta o trabalho do diafragma, principal músculo inspiratório. Neste momento, devido à sensação de falta de ar, a mulher sente dificuldade em permanecer em algumas posturas e tende a ficar com o ritmo respiratório alterado e o sono atrasado. 

Por ser um período delicado e repleto de mudanças diárias que criam uma demanda importante nos músculos e articulações, é essencial que a gestante se adapte a uma rotina de exercícios para vencer todos estes desafios corporais.

O método Pilates é ideal para as gestantes, pois tem como base de trabalho a respiração, que otimiza a realização dos movimentos e estimula a conexão da musculatura de sustentação da coluna, do abdômen e do assoalho pélvico. 

A ativação simultânea destes músculos favorece: 

  • Melhor capacidade de contração e relaxamento muscular durante o parto normal, para o momento da expulsão do bebe;
  • Aumento do aporte circulatório para a região pélvica; 
  • Promove a recuperação mais rápida após o parto; 
  • Previne a incontinência urinária;
  • Melhora o suporte dos órgãos da região pélvica; 
  • Previne as luxações e instabilidades dos ossos da pelve;
  • Evita a diástase abdominal;

Além disso, é interessante destacar que os músculos do abdome estão inseridos nas ultimas vértebras da coluna lombar, e, portanto, quando fortalecemos essa região, conseqüentemente protegemos nossa coluna, deixando-a cada vez mais estabilizada.

Outro beneficio promovido pela respiração é a diminuição do nível de estresse da gestante, a ativação da circulação sanguínea e a melhora da oxigenação do próprio feto.

Durante uma sessão completa de Pilates, são realizados exercícios de relaxamento e percepção corporal, o que leva a uma preparação da gestante para o momento do parto e estreita a relação da mãe com o bebe.

Também são enfatizados exercícios que trabalham o alongamento muscular, organização corporal, fortalecimento da musculatura global do corpo, descarga de peso e equilíbrio. Os exercícios de pés, pernas e tornozelos ajudam a diminuir os edemas e câimbras e os movimentos realizados na posição de 4 apoios, ou o que chamamos de GATO, são uma excelente alternativa para minimizar a pressão sobre os vasos dos membros inferiores.

Devemos ressaltar também os trabalhos de fortalecimentos dos membros superiores, que irão facilitar a vida da gestante na hora de amamentar e carregar o bebê diminuindo assim o estresse dos músculos do pescoço e da região cervical.

Todos esses trabalhos globais do corpo, em diferentes posturas, diminuem a perda de massa óssea e promovem um bem estar físico e mental da gestante.

O método pode ser iniciado a partir das primeiras semanas de gestação, mas é importante que haja a liberação do médico. A gestante pode praticá-lo até o momento em que se sentir bem e apta à prática de exercícios. Em certos casos, é recomendável que o trabalho seja iniciado após o terceiro mês de gestação, onde os riscos de aborto espontâneos são menores.

A prática de Pilates durante a gestação favorece e acelera o retorno da mulher para suas atividades de vida diária, pois o corpo se manteve forte e flexível durante os nove meses de gravidez. É essencial lembrar que toda a sessão deve ser acompanhada por um profissional especializado no método e que saiba as principais necessidades, contra indicações e cuidados no trabalho com gestantes, para que dessa maneira haja uma garantia no sucesso do trabalho corporal. 

O retorno para o Pilates após o parto é muito particular e deve ocorrer o quanto antes. Depende basicamente do estado geral da mulher, do tipo de parto que foi feito e obviamente da alta do médico.

Fonte: FT. Juliana Frazatto Mac Knight Crefito: 51899-f e FT. Sabrina Prado Crefito: 16992